sexta-feira, 4 de abril de 2014

Obrigada Senhor!

Oi, gente linda.

Acredito que vocês conhecem a passagem sobre o vale dos ossos secos (Ezequiel 37:1-14). Eu tive uma fase muito ruim (porém produtiva) há um tempo e decidi contar aqui sobre o que Deus me ensinou. A palavra Dele nos diz que tudo coopera para o bem daqueles que o amam, né? Eu vivi isso.
Acho que se a minha mãe estivesse lendo esse texto, ela diria: Affs, uma menina tão nova falando assim da vida.. Pois é mãe, até meninas novas tem os seus dramas, por isso que quero compartilhar com vocês.

Uma vez eu preguei sobre os milagres de Deus na nossa vida. Estudei muito a história da ressurreição de Lázaro e O vale dos ossos secos. Sem dúvidas, fiquei maravilhada com o poder de Deus e sua soberania. Mas eu nunca havia parado pra pensar: O que é viver minutos antecedentes do milagre?  Há uma grande diferença entre você relatar sobre um milagre e você viver o milagre. Quando você vive o milagre, você não só recebe a maravilha do poder de Deus operando na sua vida, mas também as dores antecedentes.


Às vezes nos comportamos como um balão de ar: procuramos sempre absolver tudo quanto for possível, afinal quanto mais cheio, mais bonito o balão fica, mas não respeitamos as nossas limitações e o balão estoura. O meu erro foi esse. Eu fiquei tão cheia de mim mesma e no final eu já não estava mais na posição de dependência de Deus, e a consequência disso foi escolhas erradas. Porque a vida cristã é como um malabarista numa corda suspensa no ar. Se você não mantém os olhos e Deus e se coloca dependente Dele para caminhar, provavelmente, você pode cair. Os motivos? A) Andar sob a corda vai além de suas forças, você precisa de ajuda. B) Espírito Santo é o equilíbrio que precisamos. C) Não é necessário muito para que a gente erre o passo e caia, quando estamos agindo apenas pelas nossas forças e entendimento.
Não tem jeito, os caminhos de Deus são maiores que os nossos e a nossa natureza humana sempre cisma de virar a curva enquanto Deus está mandando seguirmos reto.

Então, eu despenquei. Sabe quando eles falam que quanto maior você é mais alto será a queda? Isso é verdade, porque quanto maior somos mais responsabilidade teremos.
E eu vi sonhos, projetos, bons hábitos, pessoas, expectativas, indo embora e tudo de uma forma lenta. E eu tentava fazer alguma coisa, mas era como a água escorrendo pelas minhas mãos, porque no meu entendimento egocêntrico, eu não estava errada e quando estava eu achava que as pessoas deveriam fazer alguma coisa pra me ajudar.

Opa, coloca uma pausa! Confesso que sempre fui mal com autoconfiança, rs. Mas Deus me ajudou bastante. O egocentrismo e menosprezo próprio são extremos bem próximos um do outro. Aí entra novamente o equilíbrio que precisamos: o Espírito Santo. Eu errei por conta do egocentrismo e quando estava vivendo as consequências dos erros, eu me menosprezava.

Aparentemente, eu estava vivendo uma vida normal, mas dentro de mim estava um verdadeiro vale dos ossos secos, sem vida. Eu virei uma chata de galocha, vivia choramingando pelos cantos. Aliás, eu aprendi uma coisa, mas não ri, ok? Deus não gosta de bebês chorões.

Um dia, voltando do serviço por volta das 20 horas, enquanto caminhava eu refletia sobre tudo o que estava acontecendo e a minha visão estava limitada, eu só conseguir enxergar aquele momento, eu comecei a chorar e me sentei na primeira graminha que vi pela frente. Acho que nunca vou esquecer esse dia.



Sentada na grama de um lugar público e sem estrelas no céu, eu comecei o conflito mais intenso que já tive: O que vale a vida? E eu chorava compulsivamente porque a minha mente dizia que a vida não valia a pena, que não tem mais jeito, era o fim. Depois mais ou menos de uma hora e meia nesse conflito, eu sequei os olhos e respirando fundo numa tentativa de me acalmar, eu senti um vento gelado, mas diferente, me tocando. Sabe como é? Tipo uma coisa mágica, sobrenatural... E eu ouvi Deus me dizer: Eu quero te mostrar que a vida vale a pena e que você é especial. No momento eu não havia compreendido a dimensão do que Deus havia me dito, então, catei minhas coisas e fui pra casa. E no dia seguinte, Ele novamente me convidou: Vamos, eu quero te mostrar que a vida vale a pena e que você é especial!

Eu creio que Deus tocou nos meus olhos e por onde eu andava, eu conseguia ver Ele me guardando e me sustentando. Pude ver com pureza o carinho e o amor que meus amigos sentiam por mim. E nesse dia, quando cheguei em casa, meus irmão sorriram e vieram até a porta me receber com beijos e abraços (eu tenho dois irmãos de 3 e 2 anos). Imagina a alegria que senti... E após esse dia eu só pude agradecer a Deus por tudo o que Ele me deu: uma família linda, um emprego, amigos e uma vida <3
É quando você começa a olhar as coisas boas que tem na sua vida que, as coisas ruins se tornam tão mínimas...

"Os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão, caminharão e não se fatigarão." (Isaias 40:31)


Amém?

Desculpem pelo texto enorme. Que Deus abençoe muito a vida de vocês, um beijo :*
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Oi Bruna, li seu texto e me vi nele. Deus te abençoe! Gostei mto do blog, mto edificante. Se der dá uma passadinha lá no http://kerigmaon.blogspot.com.br/ . A Paz.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Também tenho um blog com mensagens edificantes que foi premiado com o Selo Premiação Blog The Cracking Chrispmouse Bloggywog Award. Seu criador pensou no Selo como forma de Blogs premiar Blogs, semeando alegria, paz, esperança e amor.

    Caso aceite, visite meu blog para cumprir o desafio de premiar outros semeadores.
    Deus te abençoe ricamente.

    http://quemusaafechegaaondequer.blogspot.com.br/

    Abraços,
    Alexeya

    ResponderExcluir
  3. Oi amei o blog ... beijinhos
    Ótima semana na Paz do senhor

    ResponderExcluir